Produtos /Bombas Dosadoras

Bombas Dosadoras - Eletrônicas

As bombas dosadoras eletrônicas se diferenciam das demais por oferecerem alta precisão na dosagem e bombeamento de produtos e grande versatilidade quanto à automação e opções construtivas (vejam exemplos abaixo). As bombas dosadoras eletrônicas apresentam construção compacta, portátil, de fácil instalação e operação simplificada, sendo aplicáveis a líquidos e soluções de baixa à média viscosidade, corrosivos e/ou agressivos.

Aeradores

Como funciona:

O funcionamento das bombas dosadoras eletrônicas ocorre a partir do movimento alternado do diafragma que, aliado à ação das válvulas presentes no cabeçote, aspira e descarrega o líquido de forma pulsante. O controle de vazão, realizado pelo usuário, se aplica pela limitação do retorno do diafragma entre 0 e 100% de seu curso original por ação de um sistema eletrônico.

Características técnicas:

  • • Vazões máximas entre 0,1 e 110 l/h por cabeçote.
  • • Pressões de descarga máximas entre 0,1 e 20 kgf/cm².
  • • Versões com 1 cabeçote de bombeamento.
  • • Vasta disponibilidade de modelos e configurações, desde versões simples com ajuste de vazão manual, até versões automáticas com controle de vazão por sinal remoto (4-20 mA ou 0-10 V).
  • • Cabeçotes fabricados em material plástico (PVDF - Kynar®).
  • • Construção de alta qualidade com carcaça em plástico injetado (reforçado), formando um conjunto compacto, leve e bastante resistente (grau de proteção IP-65).
  • • Diafragmas em Teflon® de excepcional resistência química e à ruptura.
  • • Acionamento eletromagnético (possuem solenoide no lugar de motor elétrico).
  • • Incluso kit básico de instalação, o que torna a montagem simples e intuitiva.
  • • Inclusa válvula de pé, válvula de injeção, mangueira de sucção e mangueira de descarga.

Opcionais (mediante solicitação):

  • • Eletrodos de pH
  • • Potencial redox
  • • Sensores de condutividade

Exemplos de modelos e configurações:

  • • Modelos microprocessados com interface digital e controladores eletrônicos incorporados, ideais para o tratamento de efluentes visando ao monitoramento e controle de processos.
  • • Modelos de associação a hidrômetros ou medidores de vazão com saída tipo pulso (reed) ou sinais analógicos, visando aplicações de aditivação (dosagem proporcional a um fluxo).

Aplicações:

  • • Dosagem de alta precisão
  • • Versatilidade quanto à automação
  • • Dosagem de produtos químicos diversos, inclusive agressivos e/ou corrosivos (soda cáustica, ácido clorídrico, ácido sulfúrico, leite de cal, cloreto férrico, sulfato de alumínio, etc.)
  • • Dosagem de substâncias de baixa à média viscosidade
  • • Dosagem de fertilizantes (fertirrigação), nutrientes (hidroponia), etc.
  • • Reposição de químicos em banhos de galvanização
  • • ETE – Estações de tratamento de esgoto ou efluentes
  • • ETA – Estações de tratamento de água (coagulação, controle de pH, desinfecção, fluoretação, etc.)